AEJAR apresenta propostas para otimizar o desenvolvimento econômico de Jardim

A Associação Empresarial de Jardim (AEJAR) através de seu presidente Claudemyr Soares, divulgou nesta quinta-feira (21/7), propostas a fim de otimizar o desenvolvimento econômico de Jardim, visando elevar receitas e dar qualidade às despesas municipais, assim como fortalecer o setor de comércio e serviços – e dessa forma, contribuir efetivamente para o desenvolvimento econômico local.

O setor de comércio e serviços em Jardim representa parcela significativa no PIB (cerca de 70%, 2012), desta feita, precisa de mais atenção por parte dos governantes, quer seja do executivo, quer seja do legislativo. O desenvolvimento de um comércio forte, aliado à uma gestão municipal eficiente, faz com que uma cidade seja economicamente forte, enfim, queremos um gestor público que, além de bons atributos, seja um empreendedor pelo município – ressalta Claudemyr Soares.

As propostas foram elaboradas com base na conjuntura econômica municipal atual e, diante dos anseios da comunidade, extraídos ao longo dos últimos 3 anos.

Seguem abaixo sugestões que podem ser implementadas pelo poder público municipal (Executivo e Legislativo):

CARTA DE BOAS INTENÇÕES PELO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE JARDIM: POR MAIS GESTÃO E, MENOS IMPOSTOS.

 

  • Desenvolver um Plano de Desenvolvimento Econômico (PLADE) em conjunto com a sociedade organizada.

META: AGREGAR PROPONENTES ÀS AÇÕES, BUSCANDO MAIS EFICIÊNCIA, MAIS EFETIVIDADE, QUE DEVERÁ RESULTAR EM MAIOR QUALIDADE DAS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS, DE FORMA MAIS JUSTA E DEMOCRÁTICA.

 

  • Desenvolver projetos sobre empreendedorismo nas escolas;
    • Estabelecer parcerias com instituições e entidades.
      • META: CRIAR A “FEIRA DO JOVEM EMPREENDEDOR”;
      • META: CRIAR O “PRÊMIO JOVEM EMPREENDEDOR”.

 

  • Estimular e proporcionar a negociação entre produtores da agricultura familiar e prefeitura;
    • Estimular o “desenvolvimento do potencial agrícola”;
    • Estimular e desenvolver projetos de “estímulo ao empreendedorismo familiar rural”;
    • Apoiar a manutenção e ampliação de “grupos de agricultura orgânica”.
    • Implantar e fortalecer o “Mercado do Produtor”.
      • META: OFERECER INCENTIVOS AOS PRODUTORES RURAIS, A DESENVOLVEREM PEQUENAS AGROINDÚSTRIAS, A PARTIR DE SUAS PRÓPRIAS PRODUÇÕES COMO: MEL, LEITE E DERIVADOS, CONSERVAS, DOCES, ETC.

 

  • Estruturar, desenvolver e fortalecer parcerias com entidades voltadas ao desenvolvimento econômico do comércio local.
    • Diagnosticar, definir e investir na “vocação econômica de Jardim”;
    • Estabelecer metas para incluir Jardim na “rota do turismo nacional e internacional”, a fim de captar investidores para o setor;
    • Promover ações que fortaleçam o “turismo rural, e de negócios”;
    • Criar sistemática para visitas rotineiras às empresas, a fim de promover um “programa de integração entre governo e empreendedores”;
    • Estabelecer metas para a “redução da informalidade” de micro, pequenas e médias empresas, por meio do diálogo;
    • Rever a “Lei de Incentivos Fiscais”, a fim de dar mais efetividade na seleção dos proponentes, buscando identificar principalmente o potencial de investimentos e de empreendedor do interessado.

 

  • META: ESTIMULAR A GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA;
  • META: AUMENTAR A CAPTAÇÃO DE RECURSOS;
  • META: INCENTIVAR O EMPREENDEDORISMO;
  • META: INCENTIVAR E ESTIMULAR OS COMERCIANTES LOCAIS NA EXPANSÃO DE SEUS NEGÓCIOS.

 

  • Buscar junto ao Governo do Estado legislações mais eficientes, que venham de encontro ao desenvolvimento econômico.
    • Desburocratizar” a abertura de empresas de baixo risco;
    • Buscar “cooperação técnica” para redução das desigualdades regionais;
    • Buscar a criação/ação de uma “comissão específica, voltada ao comércio” e mais ativa, que esteja frente à Câmara Municipal de Vereadores, em consonância com a Assembleia Legislativa.
    • Criar leis/emendas que regulamente, ou estimulem órgãos públicos a comprarem no comércio local, respeitando a Lei 8.666/93.

 

  • META: GERAR AGILIDADE NO TEMPO DE TRAMITAÇÃO DE DOCUMENTOS, ALÉM DE ESTIMULAR A GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA.

 

  • Incentivar a criação de um “observatório social”, a fim de buscar junto aos representantes de instituições e/ou entidades, soluções democráticas frente às questões setoriais de maior conflito.
    • META: COMBATER A CORRUPÇÃO E AUMENTAR A EFICIÊNCIA E EFETIVIDADE DA GESTÃO.

 

 

  • Implantar uma gestão administrativa focada na qualificação dos gastos, com redução das despesas públicas, além de racionalizar cargos comissionados.
    • Gerenciar com 100% de eficiência e efetividade a aplicação dos recursos públicos.
      • Implantar um “serviço de autoria permanente”;
      • Estabelecer o compartilhamento de informações, junto ao “Observatório Social”.
        • META: COMBATER A CORRUPÇÃO.
        • META: PAGAMENTO DE FORNECEDORES E SERVIDORES EM DIA.
          • Fluirá melhor a economia local e, reduzirá a inadimplência junto ao comércio local e instituições financeiras, além de reduzir juros aos portadores de títulos.

 

  • Rever a tarifa do IPTU.
    • Estabelecer o congelamento da tarifa, a fim de implantar uma política mais justa de cobrança, via debate com a sociedade;
      • META: IMPLANTAR/ REVER O SISTEMA DE IPTU REGRESSIVO, AO INCENTIVAR NOVAS TECNOLOGIAS, VISANDO PRESERVAÇÃO AMBIENTAL/ SUSTENTABILIDADE.
        • Fomentará a economia local com estimulo à existência de novos nichos de mercado.

 

  • META: FORTALECER AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO INERENTES AO IPTU PROGRESSIVO.
    • Fomentará o setor da construção civil, com estímulo ao comércio e serviços (mão de obra).

 

  • Trânsito
    • Reorganização da área central/ comercial via debate junto à sociedade.
      • META: PRIORIZAR O ORDENAMENTO DO TRÂNSITO NA ÁREA CENTRAL EM CURTO PRAZO.
  • Reduzirá o número de acidentes nos pontos críticos e, consequentemente os gastos com saúde pública e, deslocamentos de autoridades dos órgãos de segurança.

 

  • META: ORGANIZAR O ESTACIONAMENTO DA ÁREA CENTRAL, COM IMPLANTAÇÃO DE ZONA AZUL (ESTACIONAMENTO ROTATIVO).
    • Aumentará a captação de recursos para a manutenção das atividades relacionadas à mobilidade urbana.

 

  • META: MELHORAR SISTEMAS DE SINALIZAÇÃO DO TRÂNSITO:
    • Reduzirá gastos com saúde pública, além de gastos com deslocamentos de órgãos de segurança.

 

  • META: BUSCAR PELA GESTÃO E CONTROLE DAS LOMBADAS ELETRÔNICAS:
    • Aumentará a captação de recursos para a manutenção das atividades relacionadas à mobilidade urbana.

 

  • Eventos
    • META: AMPLIAR A PARCERIA COM O GOVERNO DO ESTADO, NA “REALIZAÇÃO DE EVENTOS ESPORTIVOS REGIONAIS”, QUE BENEFICIEM CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS – DADA A POSIÇÃO GEOGRÁFICA PRIVILEGIADA.
      • Fomentará a economia local, em especial ao ramo de hotelaria, restaurantes, supermercados, farmácias, etc.

 

  • Estimular a realização de eventos comemorativos no município.
    • META: TRANSFERIR A RESPONSABILIDADE DE EXECUÇÃO DAS FESTIVIDADES DE FIM DE ANO E CARNAVAL PARA ENTIDADES;
      • Fomentará a economia local, em especial ao ramo de hotelaria, restaurantes, supermercados, farmácias, etc.;
      • Não irá onerar os cofres públicos.

 

  • META: REALIZAR DE UM EVENTO TURISMO/CULTURAL EM CONJUNTO COM O GOVERNO DO ESTADO ENTRE OUTROS PARCEIROS.
    • SUGESTÃO: Festival Gastronômico: Sabores do Pantanal
      • Fomentará a economia local, em especial ao ramo de hotelaria, restaurantes, supermercados, farmácias, etc.

 

  • Rever o ISSQN – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza.
    • Melhorar a gestão do sistema e da fiscalização.
      • META: REDUZIR A INFORMALIDADE E AUMENTAR A CAPTAÇÃO DOS RECURSOS.

 

  • Rever os gastos com publicidade.
    • Estabelecer critérios e maior transparência para os serviços de publicidade da gestão do executivo municipal.
      • META: NÃO EXCEDER A 1% (UM POR CENTO) DA RECEITA LÍQUIDA MUNICIPAL COM GASTOS DE PUBLICIDADE MENSAL.

 Veja o arquivo em PDF: Carta de Boas Intenções pelo Desenvolvimento Econômico de Jardim

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*